Terceira Cruzada (dos Reis) – Causas e Consequências


terceira cruzada

 

A Terceira cruzada “Cruzada dos Reis” ( 1189-1192 ):Quarenta anos após a Segunda Cruzada, cristãos e muçulmanos coexistiam pacificamente nas cidades do Oriente Próximo. Muitos ex-soldados cristãos haviam desposado mulheres árabes ou palestinas, passando a adotar hábitos orientais.



Enquanto isso, negociantes venezianos e genoveses obtinham um sucesso comercial extraordinário. O personagem mais notável da época era Saladino (Salah-al-Din), sultão do Egito, que estendera seu domínio sobre uma grande parte do Levante, estabelecendo relações diplomáticas e de boa vizinhança com os cristãos.

Inicio da terceira cruzada – Cruzada dos Reis

Entretanto, diversas violações de acordos e pactos, sobretudo por parte de alguns senhores cristãos mais fanáticos, provocaram novamente a guerra na Terra Santa. Em 1187, Saladino derrotou os cristãos na batalha de Hattin, e entrou vitorioso em Jerusalém.

Foi o sinal para a Terceira Cruzada, iniciada em 1189, que passou para a História como a “Cruzada dos Reis”; dela participaram Frederico Barba Roxa, imperador germânico. Filipe II Augusto, rei da França, e Ricardo Coração de Leão, rei da Inglaterra.



Enquanto as forças de Filipe e Ricardo tomaram o caminho marítimo, Frederico conduziu seus soldados por terra, atravessando o Bósforo com seu exército intato e penetrando na Cilícia em 1190, certo da vitória. Ao banhar-se num rio, porém, o imperador, que tinha 67 anos, afogou-se. Seu filho, Frederico da Suábia, não tinha autoridade suficiente para impedir a dispersão dos seus homens.

Os remanescentes seguiram-no para atacar a cidade de Acre, onde ele morreu. O comando do ataque a essa poderosa cidadela muçulmana foi assumido por Filipe e Ricardo, que, de agosto de 1189 a julho de 1191, a sitiaram.

Foi a mais sangrenta das operações militares dos cristãos no Oriente: nela morreram dezenas de milhares de soldados de ambos os lados – em combate, por inanição ou pelas epidemias. Acre acabou se rendendo aos europeus, mas Jerusalém, apesar dos numerosos ataques que sofreu, não capitulou.

Resultado do Acordo final – Fim e Consequências

Em 1191, desgastado e impaciente, Ricardo assinou um acordo com Saladino, pelo qual ganhava uma faixa costeira entre Tiro e Jafa, e os cristãos tinham garantida a permissão para visitar os lugares santos da Palestina sem serem molestados; em troca, o rei inglês comprometia-se a desistir da ideia de “libertar” Jerusalém. Filipe, discordando de Ricardo e dos chefes militares germânicos, havia muito retomara à pátria. O acordo com Saladino favoreceu as repúblicas marítimas italianas. Foi o fim da terceira cruzada (cruzada dos reis). A trégua, porém, durou só três anos.

Se gostou desde artigo sobre a Terceira Cruzada (cruzada dos Reis). Compartilhe!