Expansão Colonial pelo mundo


Expansão Colonial pelo mundo. Por volta de 1600, os europeus conheciam 49% do globo mas apenas 32% das terras mundiais. Em fins do século XVIII, seus conhecimentos haviam se duplicado: 83% do globo e 60% das terras. Evidentemente a expansão colonial efetuou-se ao mesmo tempo que se procedia à exploração sistemática do planeta.

O último continente: Expansão Colonial

As grandes viagens de exploração terminaram no Pacífico com a descoberta do último continente habitado: a Austrália. Em 1606, o holandês Dirk Hartogszoon atingiu a costa oeste da Austrália (que até 1849 se chamou Nova Holanda); trinta anos depois, outro holandês circunavegou todo o continente e deu seu nome a uma das ilhas: Tasmânia.

Quem no entanto, tomou posse do território foi o grande explorador inglês James Cook (1728-1779), que em 1770 circunavegou a Nova Zelândia, avistou o litoral oriental da Austrália e subiu até sua extremidade norte. Na verdade, a Inglaterra apoderou-se apenas da costa oriental da grande ilha, mas esse fato não despertou o interesse de ninguém: o território era selvagem demais e muito longínquo.



O próprio Governo inglês, não sabendo como utilizá-lo, transformou o continente numa colônia penal, para onde eram deportados os criminosos, que, após a independência norte-americana, não podiam mais cumprir pena na Virgínia.

Só em meados do século XIX a Austrália começou a ser realmente colonizada, e para isso houve um bom motivo: em 1851, descobriram-se ali ricas jazidas de ouro. Em seguida verificou-se que os extensos prados do continente podiam ser aproveitados, com ótimos resultados, para a criação de ovelhas em grande escala. Esse tipo de criação ainda subsiste e é uma das principais atividades econômicas da Austrália.