Aves: Características Gerais, Tudo Sobre, Classe e Habitat


aves

O protagonista dessa incrível história das Aves é o Archaeopteryx lithographica, que viveu no período Jurássico, em plena era Mesozóica, ou era dos Répteis.

Surgimento das Aves

O Archaeopteryx, porém, era um réptil diferente dos outros (inclusive dos outros voadores, como os pterossauros): tinha desenvolvido um novo instrumento de voo, que complementava as asas as penas.



Dos contemporâneos plumados do Archaeopteryx (ou de uma espécie similar a essa) derivaram as aves, que foram evoluindo cada vez mais. As primeiras aves tinham ainda o esqueleto da cauda bastante longo, e o “bico” munido de dentes.

Além do Archaeopteryx,’ também tinham dentes duas outras espécies plumadas, batizadas pelos cientistas com os nomes de Jchthyornis e Hesperornis, que em grego significam “ave dos peixes” e “ave da noite.

O que caracteriza uma Ave

Vejamos as principais características das aves: São vertebrados e possuem quatro membros, sendo os anteriores (“braços”) geralmente adaptados para o voo; possuem também “ossos pneumáticos” (com cavidades cheias de ar, que as tornam mais leves).



Têm boca projetada em bico (sem dentes, nas aves atuais).

São homeotermos, ou seja, nas aves adultas a temperatura do corpo quase não varia, sendo praticamente independente da temperatura do ambiente;.

Botam ovos, isto é, são ovíparos (o embrião se desenvolve dentro de um ovo, fora do organismo materno); – têm coroo coberto por plumagem;

Um corpo leve

As aves, sobretudo as boas voadoras, têm peso reduzido, em comparação com o volume do corpo. Isso é devido à estrutura particular de seu aparelho respiratório e de seu esqueleto.

Os pulmões dos pássaros são pequenos, mas se ramificam pelo corpo em amplos sacos cheios de ar (sacos aéreos). O esqueleto, parcialmente oco e cheio de ar, é muito leve, embora seja robusto e resistente.

Uma outra adaptação para o voo é a estrutura do esterno (osso dianteiro do peito, que se articula com as costelas), munido de uma grande quilha (isto é, de uma crista saliente), que fornece uma ampla superfície de apoio para os músculos das asas.

passaros

As penas

As plumas e penas são características próprias das aves, distinguindo-as de todos os outros animais. As plumas (penugem leve e macia) cobrem quase todo o corpo da ave inclusive debaixo das penas – e servem para protegê-la das mudanças de temperatura e do impacto com o ar e com objetos.



As penas, produto da epiderme, são constituídas principalmente pela queratina. Uma pena completa é formada por um tubo transparente (cálamo) que, mergulhado no folículo (“poro” da pele), prolonga-se no ráquis.

Em cada lado do ráquis há uma série de barbas (“ramificações”) paralelas, cujo conjunto constitui o vexilo ou estandarte.

Cada barba, por sua vez, é provida de numerosas barbeias, que se unem entre si por delgadas bárbulas em forma de gancho.

As penas que cobrem o corpo das aves recebem o nome de tectrizes; as que se prendem nas asas são as rêmiges; e as que constituem a cauda são as rectrizes.

Elas formam uma superfície contínua de revestimento, que oferece uma notável resistência ao ar e é impermeável à água (graças às substâncias gordurosas secretadas pela pele das aves).

O conjunto de plumas e penas, ou seja, a plumagem que recobre o corpo das aves, tem várias funções: permite o voo, protege do calor e do frio (funciona como isolante térmico), ajuda a flutuar na água e contribui para a manutenção de uma temperatura ideal durante a incubação (choco).

Juntamente com as asas, as penas são o principal instrumento de voo, funcionando como “hélices” e estabilizadores de voo.

As asas

As asas, presentes em todas as aves, são os membros anteriores modificados. São formadas pelo úmero, rádio e cúbito, e pela mão, adaptada e constituída por três metacarpos, cada um com seu dedo. 14 asas são uma evolução dos membros anteriores das aves-répteis pré-históricas.

São “braços”, em cujas partes principais nasceram as rêmiges, penas sem as quais as aves não voam. Esse processo evolutivo tem por base a seleção natural, que faz com que os mais aptos sobrevivam.

Exemplo: os pterossauros, apesar de voarem, não desenvolveram a homeotermia, enquanto as aves, graças à temperatura constante do corpo, podiam migrar. Essa deficiência dos pterossauros levou-os à extinção.

A Classificação

As aves, com cerca de 9 000 espécies, constituem uma das mais vastas classes pertencentes ao filo dos Cordados (que têm esqueleto) e ao subfilo dos Vertebrados (que têm coluna vertebral ou “espinha dorsal”).

Segundo os conceitos modernos, subdividem-se em 27 ordens:

  • Anseriformes (exemplo: patos, gansos, cisnes)
  • Aodiformes (beija-flores)
  • Apterigiformes (quiuis)
  • Caprimulgiformes (curiangos)
  • Caradriiformes (gaivotas, quero-queros)
  • Casuariiformes (casuares)
  • Ciconiiformes (garças, flamingos)
  • Cdiiformes (colius)
  • Columbiformes (pombos)
  • Coraciiformes (mastins-pescadores)
  • Cuculifonnes (anus)
  • Esfenisciformes (pingüim)
  • Estrigiformes (corujas)
  • Estrutioniformes (avestruzes)
  • Falconiformes (urubus, condores, gaviões)
  • laliformes (galinhas)
  • Gaviiformes (iavia)
  • Gruiformes (seriemas)
  • Passeriformes (que compreende metade de todas as espécies, com mais de 4 000 variedades: canários, sabiás, pardais, andorinhas etc.)
  • Pelicaniformes (pelicanos)
  • Piciformes (pica-paus)
  • Podicepidiformes (mergulhões)
  • Procelariiformes (albatrozes)
  • Psitaciformes (papagaios, periquitos, araras)
  • Reiformes (emas)
  • Tinamiformes (codornas)
  • Trogoniformes (surucuás)

Gostou do nosso artigo sobre Aves? Compartilhe!

Imagens: parquedasaves.com.br     sociedadedosanimais.blogspot.com.br