Animais Invertebrados: Grupos, O que são e Tipos


animais-invertebrados

De modo geral, não há a menor dificuldade em reunir homens, ratos, pássaros, rãs e sardinhas no mesmo grande grupo de animais.

Apesar de tão diferentes entre si, todos apresentam uma característica comum: são providos de um esqueleto interno, formado por numerosas peças dispostas em série as vértebras. Por essa razão eles costumam ser agrupados no subfilo dos Vertebrados.



Falaremos hoje sobre os animais invertebrados.

O que são Invertebrados?

Mas o que teriam em comum esponjas, medusas, vermes, caramujos, camarões, moscas, aranhas, estrelas-do-mar e a retedora? Aparentemente, nada.

Essas espécies possuem, cada uma, suas próprias características, diferentes das demais. Se, no entanto, for necessário reunir esses animais sob uma designação comum, pode-se usar o velho termo invertebrados, indicador de uma “ausência”.



Ou seja: nenhuma das espécies desse grupo tem esqueleto em forma de eixo munido de vértebras. O que os invertebrados têm em comum não é uma determinada característica, mas a falta dela.

Ao grupo dos invertebrados pertence a maioria dos animais, isto é, 96%. Este mundo animal, portanto, é ilimitado e multiforme, não podendo ser descrito como um conjunto homogêneo.

Daremos aqui apenas um panorama dos invertebrados particularmente interessantes, como, por exemplo, os briozoários.

Animais invertebrados

Quando se passeia pela praia, é frequente encontrar na areia montes de folhas longas depositadas pela maré. Conhecidas popularmente como “algas”, essas folhas são, na verdade, uma espécie de erva marinha chamada posidônias.

Examinando-as mais de perto, não é difícil descobrir em sua superfície certas manchas esbranquiçadas, mais ou menos numerosas, semelhantes a incrustações calcárias. Postas sob a observação de uma lupa, estas revelam uma delicada estrutura em forma de rede.

Colônias

Na realidade, trata-se de uma colônia de animais: cada malha da “renda” corresponde a uma pequena cela de 1 mm de comprimento onde habita um minúsculo animal.

Colônias semelhantes, embora de tamanhos variados, também são visíveis sobre conchas ou na superfície das rochas marinhas, como no caso da retedora.

Colônias de espécies afins desenvolvem-se sob a forma de um “musgo”, e tal fato lhes confere o nome de briozoários, que significa, em grego, ”musgos-animais”.



Cada indivíduo da colônia é constituído por uma parte dura, estruturada como uma pequena cela, e por uma parte mole, chamada zooide, que possui uma coroa de tentáculos.

A função desses tentáculos – que são recolhidos ao menor sinal de perigo – consiste em capturar os microrganismos que servem de alimento ao pequeno animal. Soldadas entre si, as celas dos vários indivíduos formam o esqueleto da colônia.

O Grupo

Embora pareça estranho, pode-se dizer que todos os grupos animais pertencem ao grupo dos invertebrados. A essa afirmação, segue-se uma imediata reação: e os vertebrados, onde são colocados?

É importante lembrar que essa grande categoria de animais é, na realidade, uma simples subdivisão de um grupo que abrange também outras espécies, como, por exemplo, as do filo dos Condados, onde alguns animais como as ascídeas e as salpas não apresentam coluna vertebral e, portanto, são invertebrados.

A partir dessas observações, torna-se evidente que seria completamente impossível fornecer aqui um quadro que abrangesse todos os invertebrados: somente os fitos (ou seja, cada uma das grandes divisões do reino Animal) compreendem cerca de trinta tipos.

No esquema abaixo, estão representados os filos maiores e mais interessantes; a única exceção é a do filo dos Cordados, com um número relativamente reduzido de invertebrados.

A altura das colunas é proporcional ao número de espécies de cada filo. Vejamos alguns animais desprovidos de órgãos próprios e verdadeiros. Conhecidos como esponjas, são os mais antigos entre os animais pluricelulares.

Celenterados

Animais de estrutura muito simples; seu corpo possui apenas uma abertura circundada de tentáculos que coletam o alimento.

Platelmintos

São os vermes de organização mais simples e os primeiros animais (na ordem evolutiva) com simetria bilateral (as esponjas são assimétricas e os celenterados possuem simetria radial).

Asquelmintos

Grupo de vermes que abrange espécies cilíndricas (nematódeos e gordióideos), e espécies com o corpo em forma de saco (em grego, asquelminto significa “verme-saco”).

Anelídeos

São vermes dotados de uma complexa organização interna. Seu corpo é subdividido em segmentos.

Artrópodes

Compõem o mais vasto filo entre todos os seres vivos. Reúnem alguns dos grupos mais bem sucedidos do reino Animal, como, por exemplo os insetos, os crustáceos e os aracnídeos.

Moluscos

Formam, depois dos artrópodes, o maior filo do mundo animal. Têm o corpo mole, normalmente protegido por uma concha simples ou bivalve.

Equinodermos Exclusivamente marinhos, têm o corpo protegido por um esqueleto que cresce ligado à espessura da pele, denominado derma esqueleto.

Organismos unicelulares com características animais e vegetais ao mesmo tempo, os protozoários são, tradicionalmente, considerados como pertencentes ao reino Animal. Seu nome, aliás, deriva do grego e significa “primeiros animais”.

Com o desenvolvimento da biologia, algumas correntes da taxonomia passaram a classificar os seres vivos não mais em dois e sim em quatro remos: Vegetal (Mel aphiIa), Animal (Melazoa), Monera e Protista.

Este último inclui os protozoários, junto com os fungos e as algas; o grupo Monera abrange as bactérias e as algas azuis (cianoficeas).

Gostou do nosso artigo sobre animais invertebrados? Compartilhe!

Imagem-  elderbio.blogspot.com.br