Dadaísmo: Duchamp, Obras, Contexto Histórico e Conceito


dadaismo

O Dadaísmo (anticonformismo) é uma atitude típica dos artistas; não é à toa que o senso popular os considera no mínimo estranhos, se não até mesmo um pouco doidos.

Origem de Dadaísmo

Tristan Tzara (1896-1963), seu verdadeiro nome era Jean Rosentok), escritor e poeta, folheando ao acaso um dicionário encontrou o nome que seria dado ao movimento na palavra “dadá”: a primeira silabação dos recém-nascidos.



Esta palavrinha elementar, que não significa nada, foi, assim, eleita o símbolo da revolução artística mais anárquica (contrária a quaisquer autoridades) que jamais surgiu, O Dadaísmo.

Contexto Histórico

O movimento do dadaísmo nasceu em fevereiro de 1916 no Cabaré Voltaire, em Zurique, Suíça (que emprestou seu nome à primeira revista dadá), onde espetáculos e mostras declararam guerra uma guerra de idéias à civilização burguesa que, de acordo com os fundadores do movimento, desencadeou a Primeira Guerra Mundial.

Hügo Bali (alemão). IlansTitcher(germano-americano), Hans Arp (francês) e alguns outros junto com Tzara e Marcel Janco (ambos romenos), intelectuais emigrados de seus países em guerra, com suas apresentações e obras provocativas desejavam se rebelar ao “bom senso”, em nome do qual se formou uma “sociedade corrupta e injusta”.



O movimento dadaísta, com a sua tensão político-social, mais que uma revolução da arte, queria ser uma revolução da vida.

“Ser dadaísta pode significar, conforme ocaso, ser um comerciante, mais um homem de partido do que artista, e ser artista só por acaso” assim escreveu Tzara em um dos seis manifestos, que termina com esta afirmação: “Ser contra este manifesto significa ser dadaísta’.

Obras e artistas

Contemporaneamente às primeiras manifestações artísticas e literárias dadaístas de Zurique, em Nova York, um grupo de artistas promoveu uma revolução análoga.

Francis Picabia (1878-1953), francês (em 1919 irá a Zurique para conhecer Tzara) e Marcel Duchamp (1887-1968, este também francês) são seus promotores, juntamente com o pintor e fotógrafo americano Man Ray (1890-1976).

Em 1917, na Great Central Gallery, aconteceu um dos mais clamorosos escândalos da história da arte. Em suas salas foi exposta uma “escultura” de Duchamp denominada Juntaine (Fonte) na verdade um vaso sanitário de cerâmica branca (desses que se encontram nos banheiros públicos para homens) de ponta-cabeça sobre unia base.

Duchamp, que em 1919 expôs uma reprodução da Giocanda, de Leonardo da Vinci, com bigode e barbicha, foi o primeiro “artista” a escolher objetos comuns, produzidos industrialmente, e apresentá-los nas exposições em lugar de obras pintadas ou esculpidas.

Em 1913, ele expôs a roda dianteira de uma bicicleta, de cabeça para baixo sobre um banquinho. Esses objetos, que se encontram em museus e que não se constituem de peças únicas, foram chamados por Duchamp de Ready-made, que, literalmente, significa “feito-pronto”.

Duchamp

Embora Duchamp tenha declarado que as suas obras prescindem do prazer estético, o efeito por ele causado é o de nos obrigar a observar com um olhar diferente (olhar estético) um objeto comum que nós consideramos apenas útil.



E como se Duchamp fosse capaz de enxergar antecipadamente, por exemplo no ferro de passar mais moderno, a qualidade estética que nós atribuímos ao velho feno de passar a carvão da vovó, que, tendo se tornado raro e inútil, colocamos em cima de um móvel como enfeite.

Em Paris, nos unos 20, aconteceu a mais importante reunião do dadaísmo, que juntou na capital francesa artistas dos grupos suíço, americano e alemão. Tzara. Picabia, Ray, Max Ernst (alemão), amigo de Arp, se encontram e colaboram com aqueles que serão os protagonistas do Surrealismo: os poetas Aragon, Breton, Eluard, Soupault etc.

O Dadaísmo é importante não tanto pelas obras produzidas pelo movimento, mas principalmente pela contribuição que deu à renovação cultural do nosso século, revalorizando a liberdade de expressão e a dimensão do fantástico e do irônico como componentes essenciais da criação artística.

Gostou do nosso artigo sobre Dadaísmo? Compartilhe!

Imagem- softmixer.com